ALE FENERICH _ A Poética do Rádio para Jacques Copeau e Pierre Schaeffer: a voz íntima

link para o artigo

ESCUTA DA INTIMIDADE A PARTIR DO SOM MEDIADO

locução >> (má) interpretação teatral

"A noção de escuta da intimidade provém da formulação da especificidade da emissão vocal no meio radiofônico, na situação da leitura poética ou dramática: é contra uma “cabotinagem” (SCHAEFFER: 1970, p. 100), uma afetação e uma impostação de todo herdadas da (má) interpretação teatral, mas também da própria condição espacial e social do teatro – realizadas, a seu ver, erroneamente,no radio - que seu pensamento irá se insurgir."

noções de escuta

" ...
1) o radio como meio acusmático por excelência, que fala“diretamente aos ouvidos” e que cria uma nova condição de escuta
2) a escuta acusmática como exercício de imaginação pela expressão mesma de uma ausência
3) o microfone como uma lupa sonora, que capta os mínimos gestos da voz, sendo assim o meio para a expressão da intimidade"

intimidade

" ... “o radio é o meio acusmático por excelência, que fala 'diretamente aos ouvidos' e que cria uma nova condição de escuta”. Mas que condição é esta? Para ambos os teóricos, o rádio abre a escuta para situações não mais restritas a espaços públicos ou sociais, como o teatro e a sala de concertos, mas a espaços privados, o espaço da casa, no silêncio da solidão. "