espécies de espaços III

Sara Lana

video installation

Museu de Arte da Pampulha | Belo Horizonte | MG | 2019

insetos.001.jpeg

Em Espécies de Espaços III são apresentadas imagens de câmeras de vigilância que geram estranhamento, surpresa ou indagações. Seja por sua inesperada poética, como paisagens cuja composição é digna de enquadros cinematográficos, ou por captarem cenas inusitadas, como insetos que fizeram da câmera um ninho bastante singular.

No entanto, é importante destacar, que imagens capturadas pelas câmeras de vigilância não são feitas exatamente para a apreciação de um espectador. A um primeiro contato, supomos que não há muito para ser visto. Tais imagens, escoadas para um arquivo virtual, não têm exatamente um destinatário, mas cumprem a função de monitoramento sob o argumento da segurança.

As câmeras, com a anuência de seus proprietários, produzem imagens para um arquivo raramente acessado. A maioria delas sequer é baixada para dispositivos como o computador, ao menos que haja alguma ameaça à propriedade vigiada.

__ click here for english

In Spaces Species III, are shown images of surveillance cameras that intrigue us or generate estrangement. Whether by its unexpected poetic as landscapes worthy of cinematographic world, or by capturing unusual scenes, such as insects that made the camera a very singular nest.

The images captured by surveillance cameras are not made exactly for the appreciation of a viewer. At first contact, we assume there is not much to be seen. Such images, drained to a virtual file, do not have exactly one recipient, but fulfill the monitoring function under the security argument. Cameras, with the consent of their owners, produce images for a rarely accessed file.

Some images captured generate strangeness in us: “cinema landscapes”, postcards (marine scenes, countryside landscapes) or cameras invaded by insects.



thanks to: Hortência Abreu, Félix Blume, Julia Rebouças, Monica Hoff, Beatriz Lemos.