_português

Sara Lana teve seu caminho acadêmico traçado em escolas de matemática, computação e engenharia. Foi integrante do laboratório CEGeMe - UFMG (Centro de Estudos do Gesto Musical da Universidade Federal de Minas Gerais), onde realizou pesquisas relacionadas com processamentos de sinais, acústica e movimento (gesto musical). Desde 2007 desenvolve, então, projetos permeados por som, arte e tecnologia.

Em geral, seu trabalho é orientado para a pesquisa e desenvolvimento de parafernálias de empoderamento tecnológico, experimentando diferentes aproximações a interfaces digitais e dispositivos analógicos. Entre seus projetos recentes, destaca-se a instalação sonora ‘Máquina de Antônimos’, exibida na exposição Maquinações no Oi Futuro Flamengo. Atualmente também tem se interessado em projetos radiofônicos. Nos últimos meses participou da concepção sonora de AMA, do Cerco Coreográfico, um espetáculo de dança transmitido por rádio.

Outra criação, 'Matilha', foi uma rádio de múltiplos canais, com sons gravados e transmitidos em tempo real por cães vira-lata de um bairro nas cercanias de Belo Horizonte. Posteriormente compôs 'Mutt Dogs', uma peça sonora gravada com microfones binaurais, também por cães vira-lata. Difundida pela rádio francesa Arte Radio, ‘Mutt Dogs’ foi exibida em diversos espaços e plataformas, como Centre Pompidou (Paris) e é uma das peças nominadas para o Prêmio Phonurgia Nova de 2018 (a se realizar nos dias 29 e 30/09/2018).

Sara foi artista residente em diversos espaços de fomento à arte, como Tsonami - Festival de Arte Sonoro (Valparaíso-Chile), Semi Silent - Plataforma de Criação Sonora (Bucareste - Romênia), RedBull Station (São Paulo) e JA.CA- Centro de Arte e tecnologia (Belo Horizonte). Seus trabalhos foram apresentados no Brasil, Chile, México, Espanha, Romênia, Alemanha e França.

Ela é integrante da Silo - Arte e Latitude Rural, uma associação que se dedica a acolher e a difundir projetos culturais em zonas rurais, com o objetivo de proporcionar o intercâmbio transdisciplinar entre diferentes áreas – sobretudo arte sonora, ciências e tecnologias – e estimular o cruzamento entre técnicas intuitivas e saberes científicos. Colaborou com outros diversos laboratórios de arte e tecnologia como MediaLabMX, Nuvem - Estação Rural de Arte e Tecnologia e Marginália+Lab. Foi mentora e atualmente é coordenadora do encontro Interactivos? que acontece no Brasil, seguindo modelo proposto pelo MediaLab-Prado de Madrid.

Em parceria com músicos e artistas sonoros dedica-se a projetos de natureza interdisciplinar. Entre suas colaborações está o desenvolvimento de software para a escultura sonora 'Direito à Preguiça' de Nuno Ramos, e outros diversos projetos realizados com o artista sonoro Félix Blume, com quem realiza projetos há 3 anos. Igualmente, entre suas parcerias, estão a criação de luz e vídeo cenários interativos para diversos espetáculos de música, dança e teatro. Com eles apresentou-se em diversos espaços, como Inhotim, Centro de Arte Contemporânea e Teatro Bescanó (Catalunya).

_english

Sara Lana (1988, Belo Horizonte, Brazil) has an academic career traced in mathematics, coding and engineering schools. Since 2007 she develops projects permeated by sound, art and technology.

In general, her work is oriented to the research and development of gadgets for technological empowerment, experimenting with different approaches to digital interfaces and analog devices.

She was an resident artist in science, art and technology spaces, and presented her work in Brazil, Chile, Mexico, Spain and France.

Among her recent projects stands out 'Pontos cegos' (blind spots), a counter surveillance system for automatic detection of security cameras and mapping of unguarded points in big cities (underway in São Paulo and in Mexico City). 'Matilha', another recent work, is one multi-channel radio with real-time recorded and transmitted sounds by street dogs and 'Mutt Dogs', a sound piece produced for the french radio Arte Radio, which was screened in avant-première at Centre Pompidou.

She has been collaborating with some art and technology laboratories such as CEGeME - Center for the Study of Musical Gesture and Expression of UFMG, Nuvem - Rural Art and Technology Station and Marginália + Lab. She also was a collaborator, mentor and currently coordinator of the Interactivos? meeting, that happens in Brazil following a model proposed by MediaLab-Prado Madrid. Currently, as a founding member, she is involved with projects at Silo - Art and Rural Latitude, an association dedicated to fostering and publicising cultural projects in rural areas, with the aim of bringing about transdisciplinary exchange between different fields – above all art, science and technology – and stimulating exchange between intuitive techniques and scientific knowledge.

In partnership with musicians, sound and visual artists, as Nuno Ramos, she has been dedicating herself to interdisciplinary projects as a software developer, electronic system designer and creative director. Also as a light and interactive video scenario designer for concerts presented in various spaces, such as Inhotim, Center for Contemporary Art.